ABSOLAR promove fonte solar em encontros com Ministério do Desenvolvimento Regional e com Banco Central

IMAGEM-DESTACADA

A Associação Brasileira de Energia Solar (ABSOLAR) se reuniu com a Secretaria Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para falar sobre o uso da energia solar fotovoltaica em Habitações de Interesse Social como forma de democratizar o acesso da tecnologia à população de baixa renda. 

A entidade apresentou exemplos de projetos bem-sucedidos neste âmbito, como o “Minha Casa Solar”, em Goiás, e o residencial no CDHU, em São Paulo. A associação argumentou a favor da fonte como uma possível contribuição ao programa habitacional “Casa Verde e Amarelo”, que vai substituir o “Minha Casa, Minha Vida”. 

“A energia solar fotovoltaica traz grandes benefícios não apenas ao meio ambiente, mas também ao consumidor na ponta, gerando economia nos custos da sua utilização e consumo. Hoje existem oportunidades para maturar a utilização dessa tecnologia nos programas de habitação que pertencem à agenda do MDR”, apontou a ABSOLAR.

Na ocasião, o Secretário Nacional de Habitação do MDR, Alfredo Eduardo dos Santos, destacou que o ministério enxerga a energia solar fotovoltaica com prioridade, seja em projetos horizontais ou verticais.

Ainda durante a reunião, a associação se colocou à disposição da Secretaria Nacional de Habitação (SNH), bem como de seu corpo técnico, com objetivo de contribuir para o desenvolvimento de estudos da aplicação de energia solar fotovoltaica vertical. A SNH informou que está disposta a manter os diálogos.

Em outra agenda, a ABSOLAR esteve reunida com o Banco Central do Brasil (BC) com o objetivo de apresentar o setor solar fotovoltaico. O encontro teve a presença da diretora de assuntos internacionais e de gestão de risco corporativo do BC, Fernanda Necchio, e do chefe de gabinete do banco, Diogo Nogueira.

Foram discutidas maneiras de incluir a energia solar fotovoltaica nas ações de recuperação econômica e, em especial, o Grupo de Trabalho de Financiamento. A entidade também comentou sobre projetos de instalação de energia solar em prédio públicos, que podem reduzir custos operacionais para a administração pública.  

A ABSOLAR avaliou o encontro como positivo e relatou que a diretora expressou que o BC enxerga haver um mundo de oportunidades na economia verde e tem muito interesse em desenvolver ações sustentáveis no País. “Eles se mostraram interessados, principalmente, na proposta de instalação de módulos solares fotovoltaicos nos prédios da Esplanada dos Ministérios, e se colocaram à disposição para manter diálogo”, assinalou a associação. 

Fonte: www.portalsolar.com.br veja mais no site.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *